BlogMarketing Digital
Trending

Marketing Digital: Tudo o que você precisa (realmente) saber!

Hoje em dia esse tema não é mais novidade para ninguém, somente no Brasil quase 25% dos investimentos em marketing são direcionados para esse canal. Uma estatística tímida quando comparada com os 44% dos EUA e 61% do Reino Unido, segundo os dados do eMarketer.

Portanto, será que todos realmente sabem o que é marketing digital? Se não, basta dedicar alguns minutos na internet para encontrar diversos conteúdos sobre esse tema, além de dicas, cursos e ferramentas para utilizar. Provavelmente você nos encontrou justamente porque estava procurando mais informações sobre esse tema, certo?

Há um tempo a web vem sendo utilizada como a principal fonte de informações, visto que é o lugar que recorremos quando precisamos encontrar dados sobre determinado assunto. Assim, quem é facilmente encontrado na internet possui resultados melhores.

Além disso, a internet influenciou também o processo de compras e os clientes/usuários passaram a ser mais ativos e participativos. De acordo com estudos cerca de 66% dos brasileiros já adquiriram algum produto ou serviço por causa de um anúncio visto na internet.

Entretanto, como vimos, no Brasil o marketing ainda está “engatinhando”. Uma pesquisa realizada pelo The Boston Consulting Group, com o apoio do Google, destacou que 98% das empresas brasileiras não aproveitam todo o poder do marketing digital.

Ou seja, não saber o que é marketing digital ou como utilizar, significa que o seu negócio pode estar perdendo grandes oportunidades simplesmente por não ser visto na internet.  Então, para te ajudar, listamos tudo o que aprendemos na prática e o que realmente funciona, a partir desse conteúdo você não terá mais desculpas para resultados ruins.

Navegue pelo artigo

O que é Marketing Digital?

Você consegue se lembrar do tempo em que a internet não “existia”? Ou de quando era necessário esperar até a meia noite para se conectar em dias de semana? Hoje em dia passamos tantas horas conectados que realizar simples atividades do dia a dia sem a web parece ser um desafio. Mas, se a nossa vida mudou com a chegada da internet o mesmo se pode dizer dos métodos utilizados para divulgação, publicidade e propaganda.

Criado na década de 1990, o Marketing Digital ganhou força somente nos últimos dez anos devido a frequente utilização da internet e dos dispositivos móveis.  A partir daí esse assunto passou a ser abordado constantemente em notícias, palestras, cursos, eventos e cases de sucesso. Porém, o conceito de Marketing Digital ainda gera muitas dúvidas, pois muitos acreditam que qualquer ação realizada na internet caracteriza-se como Marketing Digital.

O marketing digital basicamente é um conjunto de ações e técnicas realizadas com o objetivo de destacar uma empresa, marca, produtos ou serviços na internet.

Para isso são utilizados os canais digitais como, por exemplo, blogs, sites, e-mail, redes sociais, buscadores e outros, com o objetivo de sanar as dores e desejos dos clientes e potenciais clientes.

Desta maneira, ficou muito mais fácil encontrar e conquistar o seu público-alvo, porque independente do segmento em que seu consumidor está presente, sem dúvida ele estará online também. E o ponto principal é: Todos podem usar o Marketing Digital! Sejam pessoas, empresas, instituições de ensino, ONGs, associações, lojas, clínicas, igrejas e quem mais você puder imaginar. Por este motivo, fatores psicológicos, culturais, geográficos e jurídicos também influenciam as pessoas na hora de comprar ou vender um produto ou serviço.

Contudo, muitas empresas ainda não acreditam no poder do Marketing Digital e preferem não investir em ações estratégicas. Para demonstrar que elas podem estar perdendo (e muito), confira alguns dados que comprovam o seu potencial:

  • 81% dos compradores realizam pesquisas online antes de fazer grandes compras. (Retailing Today, 2014);
  • O Marketing de Conteúdo traz 2,2 vezes mais visitas e 3,2 vezes mais leads para as empresas que o adotam. (Content Trends, 2017);
  • As empresas afirmam que os principais benefícios das redes sociais são: divulgar a marca (77,4%), engajar a audiência (63,2%), aumentar tráfego no blog/site (50,3%), ampliar as vendas e o número de clientes (48,5%). (Social Media Trends, 2017);
  • 86% dos consumidores gostariam de receber emails promocionais de empresas com as quais fazem negócios pelo menos uma vez por mês, e 15% gostariam de obtê-los diariamente. (Statista, 2015);
  • As redes sociais e a busca orgânica foram apontadas como os principais meios para descobrir novos e-commerces, com 69,4% e 66,5%, respectivamente. (E-commerce Trends, 2017).

Inbound Marketing x Outbound Marketing

Antigamente, todas as empresas, digitais ou não, utilizam o Outbound Marketing, apenas como uma estratégia de convencer o consumidor a comprar um produto ou serviço por meio de propagandas e publicidades vibrantes. Desta maneira, a empresa controlava, tecnicamente, o que cada consumidor poderia comprar devido à intensa quantidade de pressões para a aquisição da compra. Ao usar o Outbound hoje, é provável que a sua empresa não alcance resultados tão altos quanto é possível com Inbound.

Em resumo, o Outbound é uma abordagem ativa que utiliza mala direta, outdoors, flyers, telemarketing, TV, rádio e muitos outros meios para prospectar potenciais clientes que correspondem ao perfil ideal, que é definido por um conjunto de parâmetros ligados às características do cliente que se adapta melhor a opção sugerida.

Já o Inbound Marketing é a estratégia de mercado se que volta para o ambiente virtual, das redes sociais. Essa tática foi criada para suprir as necessidades das empresas online, atingindo os consumidores mesmo com as mudanças de comportamento e hábitos de consumo criados pela tecnologia.

Também chamado de marketing de permissão, o Inbound Marketing tem como objetivo fazer com que o cliente venha até a marca. Para isso são desenvolvidas estratégias de comunicação assertiva, como publicações em sites e blogs, ações através das redes sociais, e outras formas de exibição como e-books, newsletters, videoconferências, podcasts, entre outros.

Agora ficou mais claro para você quais são as diferenças entre um termo e outro, certo? Bom, mas ainda tem muitas outras informações a serem destacadas nesse universo do Marketing Digital para que você possa realmente compreender como usá-lo a favor do seu negócio. Continue acompanhando o post!

Os principais termos utilizados

Assim como todo médico, advogado, engenheiro, químico e demais profissionais de diferentes áreas, quem trabalha com Marketing Digital também possui uma linguagem própria. Para quem não está familiarizado pode parecer complicado, mas tenho certeza que com o nosso conteúdo e um pouco prática, você estará dominando todos os conceitos principais. Vamos lá?

AIDA

O acrônimo (Atenção, Interesse, Desejo e Ação) é um modelo que simplifica o comportamento do consumidor em apenas 4 etapas. De acordo com esse método para conseguir vender é necessário atrair a atenção, gerar interesse, despertar o desejo e por fim, guiá-lo a uma decisão.

AUTOMAÇÃO DE MARKETING

Trata-se de tornar determinadas tarefas automatizadas, com o intuito de facilitar o cotidiano e reforçar o foco na estratégia. Geralmente esse termo é associado ao uso de e-mail marketing e autoresponder, onde são disparados diferentes e-mails automaticamente com o intuito de criar um relacionamento com os prospects.

BLOG

Página na web onde são publicados artigos, vídeos e imagens com certa periodicidade, com o objetivo de formar uma base de visitantes e mantê-los informados e atualizados.

CTA

Também chamado de Call to Action ou chamada para ação, são frases – que podem estar no formato de links ou botões – inseridas ao longo ou no final do texto com a função de persuadir o usuário a realizar determinada ação ou tomada de decisão. Para isso, são utilizados verbos no imperativo. Por exemplo: entenda mais sobre o assunto clicando aqui, aproveite a oferta e compre agora, etc.

EBOOK

Mais conhecido como livro digital, o ebook é utilizado no Marketing Digital como um material para “educar” os leads sobre determinado assunto e construir um relacionamento mais objetivo com eles.

EDGE RANK

É o algoritmo do Facebook que determina a relevância das publicações e quais delas serão apresentadas no feed de notícias. Para isso ele leva em consideração três principais fatores: formato do post (imagem, texto e vídeo), data da postagem (quanto mais recente, melhor) e afinidade (se houve interações anteriores com a fanpage).

FORMULÁRIO DE CONVERSÃO

São campos de informações (nome, telefone, e-mail e outros) a serem preenchidos pelo visitante de um site em troca de algum material, como newsletter, ebooks, infográficos ou acesso a uma oferta especial.

FUNIL DE VENDAS

Num formato de pirâmide invertida, nela estão todos os estágios em que os potenciais clientes se encontram no processo de venda. O funil de vendas é dividido em três partes, sendo elas: ToFu (topo de funil), MoFu (meio de funil) e BoFu (fundo de funil), para cada uma dessas etapas é necessário definir estratégias únicas e personalizadas. Para o topo são utilizados conteúdos introdutórios a fim de transformar os visitantes em leads. No meio do funil, são utilizados conteúdos mais aprofundados, buscando fortalecer o relacionamento com o usuário e gerar demanda pelos produtos ou serviços. Por fim, no fundo do funil o prospect está próximo da compra e, nesse caso, os conteúdos devem esclarecer dúvidas, quebrar objeções e mostrar estudos de caso.

KPIs

São indicadores quantitativos definidos como parte da estratégia de marketing digital de uma empresa. Eles são utilizados para mensurar as ações e monitorar o cumprimento de metas, acompanhando o progresso com base nos números.

KEYWORD

Ou palavra-chave, é utilizada para resumir o tema principal abordado em um texto. Para isso, existem as short keywords (palavras-chave curtas) e as long tail keywords (palavras-chaves longas). Dependendo da estratégia de SEO escolhida, uma ou outra será utilizada em cada texto. Imagine que você deseja cortar seu cabelo e quer encontrar um salão próximo de casa, assim você pesquisa no Google, por exemplo, “Salão de Beleza em São Paulo”. A frase entre aspas é a keyword. Ainda, o uso dessas palavras-chaves são utilizadas pelo Google e outros buscadores como “iscas” para o ranqueamento da página, ou seja, quem entrega um bom conteúdo que condiz com a keyword escolhida, tem maiores chances de ficar entre as primeiras páginas do Google e atrair um número maior de visitantes.

LANDING PAGE

Conhecida popularmente como “página de captura”, ela atua como uma porta de entrada para os visitantes de um site ou de outra página. No marketing digital, a landing page é utilizada para gerar conversões de vendas ou geração de leads.

LEAD

Esse termo é utilizado para se referir a um potencial cliente. É aquele usuário que demonstrou interesse na sua empresa e inseriu seus dados (nome, e-mail, etc.) em um formulário de conversão. Esse processo é chamado de “geração de leads”.

PERSONA

É um personagem que representa o consumidor ideal para um produto ou serviço de uma empresa. Apesar de ser uma pessoa de mentira, criar uma persona é uma boa solução para entender melhor o comportamento e as necessidades dos clientes. Esse personagem deve reunir características demográficas (nome, idade, gênero, escolaridade, etc.) e comportamentais (gostos, preferências, aspirações, frustrações, etc.). A criação da persona não pode ser feita com base em palpites e achismos, é necessário realizar pesquisas, entrevistas e coletas de dados.

REMARKETING

Provavelmente você já fez isso: Acessou um e-commerce, inseriu um produto no carrinho de compras, mas desistiu da compra poucos minutos depois. Em seguida o produto escolhido e outros relacionados surgiram no seu feed de notícias em redes sociais e até mesmo dentro de outros sites, certo? Isso é remarketing! Trata-se de impactar os usuários que já tiveram contato com a sua mensagem, site ou conteúdo.

SEM

A sigla para Search Engine Marketing é um conjunto de estratégias que tem como objetivo promover um site nas buscas do Google, Bing, Yahoo!, etc. Ela engloba tanto a parte de links patrocinados, quanto o SEO.

SEO

Significa Search Engine Optimization (ou otimização de ferramentas de busca), consiste em técnicas e ferramentas que contribuem para que o site “suba” no ranking dos buscadores, aparecendo entre os primeiros resultados de busca.

TAXA DE ABERTURA

Número de leads que abriram os e-mails enviados pela empresa.

TAXA DE CLIQUES

Percentual de pessoas que acessa qualquer um dos links contidos em um e-mail ou outro conteúdo (como uma publicação nas redes sociais) enviado pela empresa.

TAXA DE CONVERSÃO

Porcentagem de usuários que se tornam clientes ou potenciais clientes (leads), entre outras “conversões” possíveis, como baixar um e-book, por exemplo.

Vantagens de investir em Marketing Digital

Já deu para perceber o quanto o Marketing Digital revolucionou a forma de criar anúncios e propagandas, né? Além disso, esse recurso permitiu que as empresas criassem estratégias mais efetivas e descobrissem detalhes mais específicos sobre alcance, cliques, usuários e muito mais. Mas existem outras vantagens que merecem a sua atenção. Confira:

Marque presença na internet

Criar um site ou uma fanpage por si só já agrega valor para a marca. Afinal, estar nas redes sociais hoje é fundamental para que qualquer potencial cliente encontre a sua empresa. Assim, possuir perfis, blog ou páginas na web é um passo muito importante para quem deseja garantir espaço na internet e na vida de possíveis consumidores.

A dica é aproveitar esses canais e criar meios para se comunicar com o seu público-alvo. Talvez seja necessário desenvolver um novo design para suas redes sociais, a fim de chamar a atenção de novos usuários no mundo virtual. Também é importante utilizar conteúdos para explorar temas mais específicos e que necessitam de maiores informações. Lembre-se de manter uma periodicidade das postagens, para que os visitantes não o enxerguem como um local abandonado e sem novidades.

Gerar engajamento

Após estabelecer sua presença na internet, chegou a hora de criar um bom relacionamento com o seu público-alvo e assim gerar engajamento com suas publicações. Esse detalhe é fundamental para fazer com que os usuários se aproximem de sua empresa e comprem o que você oferece. As ações de marketing digital são responsáveis por potencializar o engajamento, tanto para ajudar a converter o tráfego que está no seu site em consumidores quanto para auxiliar a empresa a fidelizar os visitantes do site.

O ganho aqui é imensurável, pois é uma publicidade gratuita. Uma clientela engajada “lutará” pela sua empresa e a defenderá de possíveis críticas em outros sites.

Conquiste seus clientes

Estabelecer um laço entre a sua empresas e seus clientes é fundamental, visto que são eles quem criam um buzz marketing – o famoso boca a boca -, que aumentará a credibilidade da marca e irá impulsionar os comentários positivos sobre ela na rede.

Isso é necessário,  pois antes de adquirir qualquer produto ou contratar um serviço, muitos usuários pesquisam e perguntam a conhecidos sobre suas experiências ou opiniões quanto a empresa de interesse. E as redes sociais são um espaço aberto para todos que desejam recomendar, elogiar e, claro, criticar. O ideal é responder todos comentários e demonstrar que a empresa está sempre disposta a diálogos para melhorar a experiência do consumidor.

Competição de igual para igual

O marketing digital não é um recurso exclusivo para grandes empresas, ele pode ser usado por todo o tipo de negócio que deseja melhores resultados. Ou seja, é uma possibilidade de concorrer em igualdade com empresas maiores, com mais funcionários, mais investidores e maior tempo de mercado.

Obviamente empresas multinacionais possui um orçamento maior dedicado ao marketing, e por isso, conseguem ter um retorno maior e mais rápido. Entretanto, para quem tem um orçamento limitado, apostar no tráfego orgânico é a melhor opção. As melhores técnicas de SEO alcançam resultados mais positivos e tornam os sites bem ranqueados dentro dos buscadores. Uma verba razoável é o suficiente para a empresa criar conteúdos relevantes e agradar o Google.

Como fazer Marketing Digital?

Você já deve ter percebido que existe uma grande variedade de técnicas a serem utilizadas no marketing digital, certo? Entretanto, existem algumas opções que se destacam por serem usadas pela grande maioria e por proporcionarem bons resultados a longo prazo, sendo elas: E-mail Marketing, Redes Sociais, Marketing de Conteúdo, Otimização de SEO e SEM.

E-mail Marketing

Como o próprio nome já diz, é o processo de enviar mensagens comerciais para um determinado grupo de pessoas, através de e-mails com o objetivo de criar e manter um relacionamento com os clientes. Geralmente essa estratégia é utilizada para enviar promoções, atrair negócios, promover vendas ou transmitir informações sobre a marca.

Muitos acreditam que essa ferramenta está ultrapassada, mas isso não é verdade. O formato das mensagens evoluíram muito e se tornaram mais refinadas, sem a necessidade de recorrer aos velhos métodos de propaganda agressiva e invasiva.

Outra característica exclusiva da prática de e-mail marketing é que normalmente as campanhas oferecem uma opção de cancelamento de recebimento, o que claramente demonstra o respeito por seu público.

Quando comparado a outras técnicas de marketing digital, o e-mail é considerado barato. Além disso, é um canal de comunicação direta que proporciona resultados efetivos. Inclusive, é possível segmentar as listas de acordo com determinados fatores como, por exemplo, taxa de abertura,  de clique, downloads de material, etc.

Para poder utilizar o e-mail marketing é necessário que a sua empresa crie sua própria base de contatos. Realizar a compra de listas não é recomendado, pois pode manchar permanentemente a reputação do seu domínio e fará você perder tempo e dinheiro. Afinal, uma lista pronta é composta por diversos leads que não estão segmentados, ou seja, talvez nem conheçam a sua marca e seus produtos.

Outra questão fundamental é que as listas sem renovação perdem, em média, 22,5% de entrega por ano. Desta forma, 4 anos é o prazo máximo para utilizar uma lista. Lembre-se de que é indispensável criar uma estratégia para compensar os contatos dispensados.

Tipos de e-mails

Como vimos, o e-mail é um canal para comunicação com antigos, atuais e futuros clientes. Em razão disso, existem diversos tipos de mensagens que você pode disparar, cada uma com uma intenção diferente em relação aos leads.

Convite

Se você deseja fidelizar e gerar engajamento, este é o tipo de e-mail ideal. Aqui a ideia é simples: promover seus concursos, sorteios, eventos e cursos. Todo mundo gosta de boas notícias e presentes, e esse modelo de mensagem fará com que os leads fiquem encantados. Para conquistar bons resultados com essa abordagem, utilize CTA’s ou inclua alguma imagem chamativa que motive o clique dos usuários.

Newsletter

Em alguns casos é necessário uma fidelização simples e direta, a newsletter ou boletim de notícias é a solução certa. Posicionar sua marca e ainda incrementar o tráfego do seu site são alguns dos benefícios que se pode alcançar com este tipo de envio.

Promoções

Quando se tratar de atrair novos clientes, as campanhas promocionais são bem-vindas. Esse tipo de mensagem, sem dúvida, é uma grande aliada para ajudar no aumento de leads, tirar o máximo proveito deste tipo de estratégia não é difícil. Diferente do modelo de newsletter, que possui um caráter mais informativo, esse tipo de e-mail foca basicamente em um único objetivo: gerar conversões.

Datas comemorativas

Datas especiais como o Dia das mães, Natal e Black Friday são oportunidades perfeitas para colocar em prática estratégias de vendas e aproveitar a febre de compras gerada sobre os consumidores. Um envio pontual com ofertas e promoções para sua base de contatos, com certeza vai gerar leads. Mas é importante ressaltar que promoções genéricas não causam bons impactos. Por isso, crie promoções segmentadas e defina uma estratégia assertiva.

Ações de fidelização

Construir um relacionamento único e duradouro com os clientes é fundamental para todas as empresas. Uma campanha de fidelização pode ajudar nesse objetivo, mas provavelmente será necessário um certo investimento. Um cupom de desconto, um presente ou um convite para um evento exclusivo, são bons exemplos que funcionam dentro dessa estratégia. Apesar desse tipo de mensagem gerar um gasto extra, demonstrar o quanto os clientes são importantes renderá bons frutos.

Redes Sociais

Você consegue se lembrar da época em que a gente enviava scraps para os amigos e participava de comunidades como, por exemplo, “eu odeio acordar cedo”? A época do Orkut marcou gerações e popularizou as redes sociais no mundo todo como uma nova forma de comunicação. Com o tempo, as mídias sociais se transformaram no espaço perfeito para os clientes interagirem com as marcas e para as empresas aplicarem ações de Marketing Digital.

Assim, estar presente nas redes sociais se tornou praticamente obrigatório para todas as empresas, principalmente devido ao número de usuários ativos. Somente no Facebook, por exemplo, são aproximadamente 127 milhões de usuários no Brasil, e a possibilidade de você encontrar os seus clientes e potenciais clientes dentre esses usuários é extremamente alta.

Essa considerável presença de usuários tornou as redes sociais um dos principais canais de comunicação entre as marcas e os consumidores, transformando-se em uma poderosa ferramenta de marketing de relacionamento. Além disso, as redes sociais são, como o próprio nome diz, uma rede composta por pessoas que buscam socializar com amigos, familiares e, também, com marcas e empresas.

Para definir uma boa estratégia de presença nas mídias sociais, o primeiro passo a ser tomado é a criação da persona, ou seja, quem é o público-alvo que você deseja atingir com suas publicações e que acompanhe a sua marca. A persona é fundamental pois, de nada adianta você ter milhares de seguidores nos seus perfis, se eles não são influenciadores ou potenciais consumidores do seu produto/serviço.

Em seguida, defina qual será a função das mídias sociais para o seu negócio. Afinal, elas podem ser utilizadas para vários fins, pois tem muita importância para branding e buzz e, ao mesmo tempo, para geração de tráfego e conversões. Obviamente, saber que tipo de conteúdo explorar em cada rede social é indispensável para tirar o maior proveito de cada uma delas. Em razão disso, separamos algumas indicações que podem te ajudar nisso, confira:

Facebook

Com mais de 2 bilhões de usuários, o Facebook é a principal rede social utilizada no mundo. Somente no Brasil são 127 milhões de usuários ativos e tudo indica que o crescimento será ainda maior nos próximos anos. Por este motivo, essa é a principal rede social buscada pelas empresas no momento de criar uma página na internet. No entanto, engajar o público na plataforma pode ser um desafio para as empresas que não entendem como ela funciona.

Na hora de escolher o conteúdo que será postado em cada rede social, é necessário observar como eles podem gerar interações e como o público normalmente utiliza tais redes. Além disso, todas as redes sociais possuem algoritmos próprios que separam as postagens publicadas pelos usuários e as apresenta somente para os usuários que possuem real interesse naquele tema.

Com a rede do Mark Zuckerberg não é diferente, se você curte vídeos de cachorrinho, então mais vídeos neste formato irão aparecer no seu feed, por exemplo. Esse método gera uma aproximação das empresas com potenciais clientes, indivíduos com os quais eles tem alguma afinidade.

Em razão disso, é fundamental saber qual é a persona do seu negócio e quais são os tipos de conteúdos que mais geram engajamento no Facebook, assim, existe uma chance maior de suas publicações atingirem os usuários certos e ainda reforçar o relacionamento entre a marca e a persona.

Citações

Trechos de filmes, séries ou músicas, depoimentos de clientes ou frases motivacionais. Independente da fonte ou do estilo, as citações costumam liderar o ranking de conteúdos mais compartilhados no Facebook. Mas não saia por aí compartilhando qualquer frase ou texto que encontrou na internet. É preciso usar citações ou temas relacionados ao seu negócio para que causem o impacto correto no público.

Dicas

Certamente você já recorreu a internet para descobrir como tirar uma mancha da roupa branca ou o chiclete da sola do sapato. A web se tornou uma ferramenta que ajuda a solucionar os mais variados problemas e muitos usuários buscam por assistência no próprio Facebook. Assim, fique atento as principais dúvidas que surgem entre os seus clientes para que possa oferecer a eles dicas e orientações de como tornar a vida mais simples.

Perguntas

Você sabia que as pessoas se sentem naturalmente “obrigadas” a pensar em uma resposta quando se deparam com uma pergunta? Comece a utilizar essa tática a favor do engajamento da sua página. Ao ver uma frase interrogativa, o usuário vai se sentir atraído e, possivelmente, irá deixar uma resposta. Isso significa que ao gerar comentários, consequentemente, a postagem terá um maior alcance. Faça perguntas breves, para que eles não sejam ignoradas no feed de notícias.

Imagens

Aquele ditado “uma imagem vale mais do que mil palavras” faz todo o sentido quando se trata do Facebook. As publicações de imagens possuem um engajamento muito maior e melhor do que posts somente com texto, porque elas chamam a atenção dos usuários. Porém, é muito importante saber escolher as imagens para o Facebook, de forma que elas fiquem coerentes com o texto ou com o link que acompanham. Alguns exemplos são: infográficos, montagens, fotos, ilustrações e etc.

Memes

Atualmente os memes (imagens e vídeos com tom humorístico que se popularizam na internet) são opções perfeitas para quem deseja aumentar o engajamento no Facebook. No entanto, os memes surgem quase que diariamente, assim, é preciso ficar atento as notícias e aos trends, pois a qualquer momento pode haver uma novidade. Em junho do ano passado o Mc’Donalds fez uma junção de todos os virais famosos em um vídeo para promover o festival cheddar da rede.

Instagram

Pertencente a Mark Zuckerberg desde 2012, o Instagram bateu no ano passado a marca de 1 bilhão de usuários ativos e é a segunda rede social mais utilizada no Brasil. Isso significa que o Instagram pode ser um grande aliado na sua estratégia de marketing. Afinal, essa plataforma é capaz de trazer bastante visibilidade para a sua marca, graças à popularidade que possui junto a determinados públicos e à flexibilidade dos seus tipos de conteúdo.

Mas antes de falarmos sobre os tipos de conteúdos que podem ser abordados nessa rede social, é indispensável descobrir quais são os usuários que a utilizam. De acordo com uma pesquisa pela Opinion Box, o Instagram é utilizado principalmente pelas mulheres, sendo representadas por 63%, enquanto os homens são apenas 55%.

Ter uma conta no Instagram também é mais frequente entre pessoas mais jovens. Na faixa de 16 a 29 anos, 69% são usuários. Conforme aumenta a idade, os números vai caindo aos poucos: 58% dos internautas de 30 a 49 anos têm Instagram, enquanto os que têm 50 ou mais anos e têm conta na rede são 36%.

Além disso, a rede social investe frequentemente em novos recursos com o objetivo de proporcionar a melhor experiência para o usuário. Um dos mais utilizados é o stories – aquelas publicações de fotos e vídeos que duram 24 horas -, tanto que 7 em cada 10 usuários assistem stories pelo menos uma vez por dia.

No entanto, as publicações do feed acabaram perdendo a atenção do usuário. Em razão disso e das muitas possibilidades disponíveis, como no Facebook, pode ser difícil determinar quais abordagens funcionam melhor de acordo com o seu tipo de negócio.

Utilize fotos do público (repost)

Existem alguns clientes que, conscientemente ou não, atuam como embaixadores da marca de forma espontânea para muitos produtos ou serviços. Esse tipo de conteúdo beneficia sua marca, pois nada melhor do que outras pessoas falando sobre você, do que você falando de si mesmo. No Instagram você pode usar isso ao seu favor solicitando para que os clientes enviem fotos, publiquem imagens com uma hashtag específica ou utilizando o aplicativo repost.

Divulgue seus bastidores

As pessoas amam saber o que acontece por trás da produção de uma empresa ou como é o dia a dia da marca. Aproveite para apresentar seus colaboradores, destaque reuniões importantes ou confraternizações simples. Lembre-se que por trás de toda marca existem pessoas trabalhando para que ela funcione da melhor maneira.

Humanize sua marca

Por se tratar de uma rede social, os usuários valorizam perfis de empresas que se parecem com de seus amigos. Para se ter uma ideia, conforme alguns estudos, fotos com humanos têm 35% mais engajamento que outros tipos de fotos. Publique fotos dos seus clientes e, claro, destaque também seus funcionários.

Frases/citações

Publicação clássica de todas as redes sociais, no Instagram as frases motivacionais e citações também fazem sucesso. Aqui você também pode destacar opiniões e feedbacks dos seus consumidores.

Ofereça tutorias/conhecimento

Explore nas suas publicações conteúdos educativos, tendências, tutoriais, dicas rápidas, perguntas frequentes, etc. Esse tipo de postagem é ideal para destacar os seus produtos e serviços sem parecer uma publicidade convencional. Por exemplo, a Tramontina publica vídeos de receitas fáceis em que sempre são “apresentados” as funcionalidades de seus produtos. Confira:

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Tramontina (@tramontinaoficial) em

Publique vídeos

Dizem por aí que o futuro pertence aos vídeos, visto que eles transmitem as informações mais rápido. Além de conseguir atrair seu cliente por meio do apelo visual, o conteúdo publicado em vídeos é mais fácil de assimilar, além de ser mais enxuto e direto. No Instagram é possível publicar vídeos em três formatos: no IGTV, nos stories e no feed. Faça testes e verifique em qual deles você tem uma maior audiência.

WhatsApp

Superando o Facebook Messenger, o aplicativo de bate-papo WhatsApp foi criado em 2009 e atualmente possui cerca de 1,3 bilhões de usuários ativos – sendo que 120 milhões se encontram no Brasil -, é o principal canal de comunicação utilizado pelos internautas. A plataforma conquistou tanto sucesso devido as facilidades com que as pessoas podem enviar mensagens, imagens, vídeos e áudios, além de fazer chamadas.

Por ser um fenômeno virtual, logo se tornou um bom canal para fazer e divulgar negócios. No final de 2017, o lançamento do WhatsApp Business abriu portas para empresas apostarem em estratégias de marketing. Essa opção permite que você tenha um perfil próprio para o seu negócio dentro do aplicativo, enviar respostas rápidas ou automatizadas, organizar seus contatos utilizando etiquetas e acesso a métricas importantes, como o número de mensagens enviadas com sucesso, entregues e lidas.

O design ainda é bem similar a versão comum, mas logo deve haver novas funcionalidades exclusivas, como um sistema de compras e pagamentos. Um detalhe que faz toda a diferença é que no perfil empresarial você pode inserir informações do seu negócio, como: endereço, site, email, segmento e horário de funcionamento.

Stories/Status

Assim como o stories do Instagram, no status do WhatsApp você pode publicar fotos, vídeos, promoções, ações e avisos que ficarão disponíveis para visualização por apenas 24h. Para que o seu público-alvo seja atingindo com as suas publicações é necessário que ele tenha o seu número salvo na agenda. Solicite para que eles adicionarem logo após o primeiro contato.

Lista de transmissão

Essa ferramenta permite que você envie a mesma mensagem para todos os seus contatos ao mesmo tempo, sem agrupá-los ou que eles saibam que você enviou o mesmo conteúdo para outros membros da sua lista. Desta forma ficou mais fácil de atingir um grande número de pessoas ao mesmo tempo.

Com a lista de transmissão do Whatsapp, cada cliente receberá suas mensagens individualmente, o que te possibilitará também iniciar um diálogo de forma exclusiva com cada contato.

Por causa do grande número de compartilhamentos de fake news, o WhatsApp adotou novas medidas de compartilhamento de mensagens. Agora o repasse automático ficou limitado até cinco grupos de conversas (chats). Essa medida tem como objetivo reforçar o caráter da plataforma como espaço de troca de mensagens privadas.

YouTube

Você consegue se imaginar assistindo a vídeos na internet, hoje em dia, sem o YouTube? Parece impossível, né? Mas há 14 anos ele simplesmente não existia. Criado pelo trio de ex-funcionários do PayPal: Chad, Steve e Karim, o YouTube surgiu para transformar a forma com que assistíamos vídeos no passado. Antes, os vídeos eram compartilhados via e-mail com baixa resolução (devido ao limite de tamanho dos anexos) ou eram hospedados em sites que levavam uma eternidade para carregar.

Após diversas mudanças no layout e um crescimento notável nos últimos anos, o YouTube se tornou a segunda rede social mais utilizada no mundo e tem aproximadamente 1 bilhão de usuários ativos. A plataforma conquistou tantos adeptos por causa das facilidades disponíveis, qualquer pessoa tem acesso aos vídeos e pode interagir com eles ou enviá-los para sua rede de contatos.

E se você ainda não pensou em usar essa rede social como uma estratégia para alavancar o seu negócio, é bom começar a considerar essa opção. Afinal, oito em cada dez usuários no Brasil acessam a rede e 52% das pessoas realizaram alguma ação após ter assistido a um vídeo online. Assim, criar um canal do YouTube é primordial para qualquer modelo de negócio, visto que você não precisa pagar para publicar seus vídeos, fazendo dele uma opção mais barata que propagandas de TV, por exemplo.

A plataforma contém os mais variados materiais: vídeos caseiros, culinária, dicas de beleza, músicas, materiais específicos sobre um produto ou empresa, entre outros temas. Portanto, seja qual for o segmento de sua empresa, ela tem espaço e pode produzir conteúdos bem interessantes. Para definir que tipo de vídeo divulgar no seu canal, é fundamental ficar atento ao público que você quer atingir.

Perguntas e respostas

Selecione as perguntas, comentários e dúvidas mais frequentes que você/sua marca recebe nas redes sociais, mensagens ou emails e grave as respostas para cada pergunta. Outra ideia é criar uma postagem pedindo aos seus seguidores/clientes perguntas para responder, sejam técnicas ou pessoais e responda com um vídeo.

Traga convidados

Seja para uma entrevista, uma conversa informal, um passeio ou um jogo. Diversos canais do YouTube apostam no modelo guest que é trazer convidados para falar sobre diversos assuntos. Você pode tanto chamar profissionais relacionados a sua área de atuação (assim ambos os públicos podem conhecer os dois canais e aumentar a audiência), quanto convidados com um público totalmente diferente do seu, desde que a proposta seja interessante.

Forneça tutoriais

Vídeos que ensinem como fazer determinada ação atraem muitos usuários pois trazem informações ricas, direcionadas que solucionam de forma visual e didática os problemas de seu público. Eles podem ter diversos fins, desde entretenimento até método de ensino de técnicas ou instruções de uso de uma ferramenta.

Apresente resenhas

Outro tipo de conteúdo bastante comum na plataforma são as resenhas de produtos, serviços, cursos, eventos, palestras, vídeos, site, e-commerce, etc. Anote todas as ponderações e depois que você usar/ experimentar/vivenciar aquilo, demonstre qual é a sua opinião ou avaliação sobre através de um vídeo.

Dicas

Modelo clássico, os vídeos de dicas geram bastante engajamento e são frequentemente pesquisados pelos usuários. Apresente um conteúdo de valor e que vai ajudar o seu público, mostrar que você domina determinado assunto pode te ajudar a se tornar referência na área.

TAGs

Os vídeos de TAG são mais “interativos” e geram uma proximidade entre a marca e os consumidores. Esse modelo é utilizado para contar uma história pessoal, realizar um desafio com amigos, responder perguntas, etc. Existem diferentes opções de TAGs e você pode selecionar uma que condiz com o seu público e com o que ele deseja ver.

Twitter

Conhecido também como a rede social favorita do atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o Twitter foi criado em 2006 pelo quarteto Jack Dorsey, Noah Glass, Biz Stone e Evan Williams. O nome da plataforma surgiu de um termo no dicionário que significa “uma breve e inconsequente explosão de informações” ou um barulho feito por pássaros.

Tornou-se febre no mundo todo entre 2009 e 2010 – ano em que a rede social repaginou seu layout -, quando os usuários descobriram o quão legal era compartilhar seu cotidiano em um espaço de 140 caracteres. Apesar do número de usuários ativos estar caindo desde 2013, seus 328 milhões de usuários globais não podem passar despercebidos.

Assim como as demais redes sociais, o Twitter possui características próprias  que podem ajudar a alavancar a sua estratégia de marketing, como sua linguagem própria, velocidade e dinamismo. E por falar em velocidade, você sabia que a plataforma recebe mais de 500 milhões de tweets por dia? Isso corresponde a 6 mil tweets por segundo! Ou seja, para se destacar por lá é necessário ter muito conteúdo para compartilhar com os seus seguidores e mante-los sempre de olho no seu perfil.

No Brasil, o Twitter se mantém no ranking das redes sociais mais utilizadas ocupando o quinto lugar. Por isso, caso o seu público esteja por lá, é interessante apostar na plataforma para desenvolver ações de marketing e aproveitar o fator engajador que o site proporciona. Mesmo com poucos caracteres é possível aproveitar ao máximo a rede social para destacar a sua empresa, estabelecer uma comunicação direta com os consumidores e, claro, gerar mais vendas.

Esteja de olho nos assuntos do momento

No Twitter é fácil descobrir quais são os assuntos mais relevantes e falados no momento. Através dos Trending Topics ou na aba “Moments” é possível entender quais são os temas mais populares. Desta maneira, utilize o seu perfil para abordar esses assuntos e alavancar o resultado dos seus tweets.

Veja qual assunto se encaixa com o seu segmento e promova um tweet que consiga unificar isso com a sua marca. Não pense que é difícil, geralmente assuntos que tenham a sinergia perfeita com o seu negócio ou com algum serviço que você oferece não são tão difíceis de encontrar. Basta ficar sempre de olho no que acontece no Twitter.

Faça tweets com imagens

Como vimos ao longo do artigo, publicações com imagens são mais atrativas e com os tweets não é diferente. Entretanto, não coloque algo que seja uma publicidade ou um anúncio flagrante. Pense sempre que os usuários e os seus seguidores no Twitter não querem ser incomodados com propagandas descaradas.

Promova sua marca de maneira que envolva algo divertido ou mesmo engraçado. Porém, ao criar a imagem, seja cuidadoso e jamais coloque algo ofensivo ou que denigra a imagem de uma pessoa e fique atento para não postar imagens que possam comprometer a reputação da sua empresa.

Poste com frequência

Postar excessivamente pode ser bastante incômodo para quem segue o perfil da sua marca. O ideal é encontrar um equilíbrio para não escrever demais e para não escrever de menos, demonstrando que o perfil do seu negócio está abandonado e sem receber atenção.

É importante ressaltar que o Twitter não é a rede social indicada para vender os seus produtos diretamente, por isso as campanhas devem enfatizar o relacionamento da marca com seus consumidores e futuros clientes. Divulgue as promoções e as vantagens que o seu negócio proporciona e aproveite para incentivar os usuários a te seguirem em outras redes sociais.

Transforme o seu perfil em um SAC para a empresa

O Twitter é uma rede social muito prática para se comunicar com os outros, aproveite para abrir o seu perfil para ajudar seus clientes e esclarecer todas as dúvidas que eles tenham. Para funcionar, é necessário que você ou outro profissional fique encarregado de responder de maneira rápida e efetiva a todos os tweets que forem encaminhados para sua conta.

É importante também que o seu perfil tenha uma aparência harmônica e receptiva. Escolha boas imagens para ilustrar a sua empresa no perfil e na capa.

LinkedIn

Se você acha que o Facebook é informal demais e busca por uma rede social com foco em relações profissionais, o LinkedIn é o lugar certo! Criada em 2002, essa rede social surgiu inicialmente apenas com a proposta de anunciar vagas de emprego, algo que se mantém até hoje. No entanto, o LinkedIn cresceu e atualmente é um excelente canal de comunicação entre profissionais e empresas.

Em 2017 a plataforma atingiu a marca de 500 milhões de usuários e de acordo com uma pesquisa da Opinion Box, 37% deles acessam o LinkedIn pelo menos uma vez por dia. Assim como as demais redes sociais, o LinkedIn precisa de contatos e interações. Portanto, faça comentários, publique com uma certa frequência e interaja ao máximo com seus contatos.

Lembre-se também que muitos usuários utilizam essa rede social para buscar informações sobre você e a sua empresa, por isso, quanto mais dados forem cadastrados, maior será a sua credibilidade na rede. Ao manter perfil ativo, com postagens relevantes e que explorem o seu potencial, os clientes estarão muito mais dispostos a entrar em contato com você quando houver necessidade.

A pesquisa também revelou que 65% dos usuários utiliza a rede social para acompanhar artigos de seu interesse. E por falar em artigos, desde 2015, quando foi lançado o recurso Pulse, as produções de conteúdo tem se destacado cada vez mais no LinkedIn. Isso é perfeito para a sua autoridade na sua área e compartilhar os bastidores das suas experiências no mais variados tipos de projetos, através de pequenos relatos.

Para engajar nessa rede social o primeiro passo é: criar conteúdos ricos. Quanto aos conteúdos para empresas, lembre-se que o consumidor é rigoroso e prefere ser abordado com materiais que se encaixam no seu momento, suas necessidades e dores.

Entretanto, é preciso ficar atento, pois o conteúdo no LinkedIn possui um foco maior em assuntos profissionais, mesmo no perfil pessoal. Então, prefira temas relacionados ao seu negócio, como suas experiências e o seu cotidiano na área em que atua. Tanto empresas, quanto perfis que desejam apostar em marketing nessa rede social devem seguir as regras de sempre no conteúdo. Por exemplo, utilize uma linguagem que seu público entende e se comunica. Crie conteúdo original e poste com frequência para se manter notável entre outros perfis.

Antes de conferir no próximo tópico como aproveitar o Marketing de Conteúdo para impulsionar a sua empresa na internet, que tal descobrir algumas marcas que se destacam no LinkedIn e sabem aproveitar ao máximo a rede social?

Ambev

A produtora de bebidas utiliza o LinkedIn como uma extensão para a assessoria de imprensa, ou seja, o foco é compartilhar conteúdos que exaltem as qualidades e justifiquem seu posto como uma das maiores especialistas do ramo. Assim, o perfil da Ambev explica suas ações sociais, mostra o processo de criação de seus produtos e também divulga algumas das promoções realizadas pelas bebidas do grupo.

Desta maneira, a marca reforça a eficiência da plataforma para empresas que desejam investir na construção de sua marca, se posicionando como especialista em seu ramo de atuação e não apenas com os lucros, mas com o retorno positivo e sustentável que a organização pode gerar para sociedade.

Unilever

A multinacional britânica,  que possui uma linha de produtos que vai desde alimentos e bebidas a itens de higiene pessoal e beleza, utiliza o LinkedIn para encontrar profissionais qualificados que possam fazer parte do seu time, compartilhando (muitas vezes de forma  pessoal e descontraída) informações e curiosidades sobre sua equipe  para todos os seguidores de sua página.

Por ser responsável por um vasto leque de produtos que atende aos mais diferentes perfis de clientes, a marca tem a cautela de selecionar e compartilhar conteúdos que sejam de interesses para o público de maneira geral.

Marketing de Conteúdo

Imagine que você está planejando uma viagem internacional e deseja saber mais sobre os pontos turísticos a serem visitados, hotéis recomendados e câmbio de moeda, assim você corre para internet em busca de conteúdos que possam esclarecer suas dúvidas. Após poucos minutos, você encontra todas as respostas que queria em um blog de uma agência de viagens. Isso é marketing de conteúdo.

Essa estratégia tem como objetivo engajar o público-alvo e aumentar a rede de consumidores e potenciais clientes através do desenvolvimento e distribuição, das mais diferentes formas, de conteúdo relevante e de qualidade. Para se ter uma ideia,  o Marketing de Conteúdo custa 62% menos e gera 3x mais leads quando comparado ao outbound marketing.

No Marketing de Conteúdo, diferente dos meios de comunicação tradicionais – rádio, televisão, etc. -, o foco não é jogar o produto diretamente na cara do consumidor. Com essa estratégia é preciso focar no real interesse do seu público que, normalmente, se encaixa em uma das três etapas do funil de vendas. Esse recurso é uma representação dos estágios que o seu possível cliente passa até a conclusão da compra.

Cada etapa do funil exige conteúdos diferentes com o objetivo de que o cliente passe de uma para a outra, até chegar ao fundo. No topo do funil, o usuário está na fase de descoberta de interesse, ele ainda não sabe se necessita do seu produto/serviço, e a missão é despertar a necessidade através dos conteúdos. No meio do funil, esse possível cliente já descobriu um problema e está atrás de possíveis soluções, ou seja, um passo a mais no processo de decisão de compra. Por fim, no fundo do funil, a pessoa está em um estágio avançado de avaliação para tomar uma decisão de compra.

Logo, essa prática deixou de ser uma tendência e se transformou em uma necessidade para todas as empresas que desejam se estabelecer no mercado, vencer seus concorrentes e construir uma marca sólida. Para isso, o Marketing de Conteúdo deve ser combinado com uma estratégia de SEO, com a finalidade de gerar uma maior visibilidade digital para a marca. Ainda, todos os anos o Google trabalha em evoluções do seu algoritmo e hoje em dia ele já consegue identificar quando um conteúdo é relevante ou não para os usuários.

Ao produzir conteúdos de qualidade, você estabelece uma autoridade no mercado e, com isso, os potenciais clientes terão confiança no seu trabalho.  Para obter bons retornos com essa estratégia, é indispensável que você aborde os problemas que afligem a sua persona, assim a chance de compartilhamentos do conteúdo se torna muito maior. Com esses compartilhamentos, quem mais ganha é a sua empresa, que terá contato com mais e mais leads.

Mas, antes de apostar no Marketing de Conteúdo esperando por bons resultados em pouco tempo, é necessário compreender que essa é uma estratégia de longa duração, baseada na construção de um forte relacionamento com os clientes, conseguido através do fornecimento de conteúdos e informações.

Também é muito importante ter a sua persona bem definida, visto que essa estratégia é totalmente centrada no cliente. Por isso, você deve conhecer essa pessoa a fundo, seus hábitos, comportamentos, necessidades, dúvidas e o que ela realmente procura de informação e conteúdo para ajudá-la no seu dia a dia. A partir daí, é possível definir o tipo de conteúdo a ser produzido para atingir seus objetivos, os temas que serão abordados e onde eles devem ser disponibilizados para alcançar o seu público-alvo. Além do ebook, e-mail marketing e landing page que vimos acima, você também pode apostar em:

Cases de clientes

Que tal destacar as histórias de clientes que obtiveram sucesso com a ajuda da sua empresa? Um case é uma prova de que você sabe fazer o que oferece. Além disso, nenhum serviço é igual ao outro e esse formato de conteúdo te ajuda a se destacar no mercado. Lembre-se de enfatizar no case quais foram as ações realizadas, os resultados atingidos e o depoimento do cliente. As irmãs Alcântara, responsáveis pelo curso online Efeito Orna, destacam com frequência cases de seus alunos – em formato de vídeos e textos – no site e nas redes sociais. Confira o exemplo abaixo:

Infográfico

É uma forma visual de apresentar informações e dados – geralmente complexos –, auxiliando na compreensão do leitor. É elaborado por meio de imagens (ilustrações, gráficos, ícones) e textos. Utilize esse tipo de conteúdo quando precisar abordar um tema muito importante, pois nossos cérebros processam dados visuais aproximadamente 60 mil vezes mais rápidos do que o texto.

Podcast

É um conteúdo em áudio, como um programa de rádio, mas disponibilizado através de um arquivo ou streaming. Você pode, por exemplo, gravar um áudio aprofundando sobre um tema específico que domina e disponibilizar toda semana em sua página. Os visitantes poderão baixar ou escutar online no horário que acharem mais apropriado. É uma ótima ferramenta para deixar o relacionamento mais pessoal. Como exemplo trouxemos o podcast desenvolvido pela plataforma B9 que aborda curiosidades, ciência, desafios e muito mais!

Blog

Talvez a opção mais conhecida, os blogs permitem que as empresas distribuam conteúdos relevantes para a sua persona sobre os mais diferentes assuntos. De acordo com a pesquisa Content Trends 2018, as publicações em blogs geram em média 2 vezes mais visitantes para as empresas que praticam Marketing de Conteúdo, isso porque a maioria dos assuntos ali veiculados podem ser replicados em outros canais, como nas redes sociais, fazendo com que o tráfego e o alcance seja maior.

Webinar

Abordar um determinado tema através de um artigo do blog será muito complexo? Por que não discutir sobre ele em vídeo? O termo que é uma abreviação da expressão em inglês web based seminar, significa seminário online em vídeo. Esse formato de conteúdo pode ser gravado ou ao vivo, e normalmente permite a interação da audiência via chat.  Para aproveitar ao máximo os benefícios do webinar, você deve utilizar uma ferramenta específica. As recomendadas são: Google Hangouts, WebinarJam e GoToWebinar. A empresa de conteúdos, Rock Content, realiza todos os meses webinars com o objetivo de contribuir para o conhecimento de quem trabalha ou deseja investir em marketing.

Se você ficou interessado em começar um blog, nós separamos outros conteúdos que podem te ajudar a explorar esse recurso e a entender como ganhar dinheiro com ele, olha só:

SEO x SEM

Empresas e marcas que possuem site ou blog frequentemente se questionam: “por que não consigo encontrá-los no Google?”, isso geralmente acontece porque estratégias como SEO e SEM não foram bem definidas ou estão sendo aplicadas incorretamente. Para alcançar esse objetivo, compreender o que significa essas siglas é fundamental para atingir o primeiro lugar nos mecanismos de buscas e, consequentemente, atrair mais consumidores para o negócio.

Ambas as estratégias são parte crucial do que chamamos de Marketing de Performance. Entretanto, muitas pessoas acreditam que a presença digital da empresa deve ser construída através de uma estratégia ou de outra. Mas na verdade o SEO e SEM são formas complementares de se atingir o mesmo objetivo: melhorar a visibilidade nos mecanismos de busca afim de resultar em maior tráfego (e de melhor qualidade) para o site.

O que é Search Engine Optimization?

Acima, nos termos mais utilizados, nós explicamos brevemente o que significa a sigla SEO, certo? Contudo, saber apenas a definição simples não é o suficiente para atingir bons resultados ou conquistar um bom posicionamento no Google. O SEO é um conjunto de ações que procura otimizar o desempenho de um site, para que ele atinja uma melhor posição nas pesquisas feitas nos mecanismos de buscas (Google, Bing, Yahoo, etc.), e assim gerar tráfego espontâneo para a página.

As ações de SEO são basicamente separadas em atividades on page e off page. Para ficar mais claro, vamos dar alguns exemplos do que seriam essas táticas:

  • Otimizar títulos, imagens e textos usando naturalmente a palavra-chave escolhida no decorrer do conteúdo;
  • Estruturar uma página de conteúdo com carregamento rápido,  adaptável para dispositivos mobile e sem erros de desenvolvimento;
  • Configurar o código do seu site para que o Google possa ler seu conteúdo mais facilmente;
  • Inserir links internos para outras páginas do seu site e conseguir links de referência de sites externos para ajudar no ranqueamento do Google e muito mais.

É importante ressaltar que os resultados do SEO não chegam em curto prazo. Os mecanismos de buscas, como o Google, fazem uma varredura de diversos aspectos para descobrir se o seu conteúdo realmente é o melhor para ocupar as primeiras posições. Esses fatores vão desde quanto tempo um usuário fica no seu site, se ele visita outras páginas, compartilha nas redes sociais, se a sua página carrega rápido e por aí vai.

Por isso, ao desenvolver uma boa estratégia de SEO, o tráfego orgânico do seu site vai aumentar (de forma gratuita) consideravelmente e de forma estável a longo prazo.

O que é Search Engine Marketing?

Muitos acreditam que o SEM é algo a parte e diferente do SEO, mas na verdade não, ele engloba a estratégia de SEO. O Search Engine Marketing é uma área voltada para estratégias, ferramentas e conceitos focadas na parte de aquisição de um funil de vendas. São estratégias que tem como finalidade promover um site ou blog dentro de um dos mecanismos de buscas através de otimização (como o SEO) ou propaganda (como links patrocinados, anúncios em redes sociais, etc).

Separamos alguns exemplos de ações de SEM para te ajudar a entender ainda melhor o conceito:

  • Realizar um estudo de SEO para otimizar sites e conteúdos de um blog a fim de se tornar autoridade nos serviços que sua empresa oferece.
  • Estruturar uma campanha de Links Patrocinados no Google AdWords com o objetivo de exibir seu negócio para potenciais novos clientes e trazer novos visitantes pro site.
  • Criar anúncios de banners no Facebook Ads e Instagram para divulgar um novo produto.

Por fazerem parte da mesma temática, é comum que os profissionais da área de marketing tenham dúvidas sobre as diferenças entre esses dois princípios, mas como vimos, o SEO é voltado para resultados gratuitos, enquanto o SEM busca por retornos de investimentos em anúncios.

As ferramentas recomendadas

Se você chegou até aqui possivelmente já percebeu que para o marketing digital funcionar são necessárias muitas ações e atividades, certo? E realizar todas elas manualmente pode ser complicado, visto que o trabalho pode ficar acumulado e as estratégias fora de foco.

Hoje em dia, existem tantas ferramentas diferentes que é difícil saber por onde começar. Cada nova ferramenta requer um investimento de seu tempo e dinheiro. Ao longo do conteúdo nós te apresentamos as clássicas: o Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn e outras. Essas plataformas são as ferramentas mais conhecidas de toda a web e as ferramentas mais utilizadas pelas marcas para alavancar suas relações com clientes. Sim, essas ferramentas devem estar presentes em seu planejamento estratégico de marketing digital.

Mas você já pensou na infinidade de plataformas em que você não está e como isso pode ser prejudicial para o seu negócio? Existem milhares de outras ferramentas de marketing digital que podem contribuir, e muito, para seu negócio, ampliando a quantidade e qualidade de informações que você tem de seu cliente.

E-mail Marketing

Active Campaign

Indicado para pequenas empresas e startups, o Active Campaign possui um preço acessível e é focado em criar fluxos de automação de marketing completos e eficientes. Com essa ferramenta você pode desenhar fluxos de nutrição por meio de um editor de fluxos e ainda gerenciar seus contatos com um CRM embutido na plataforma.

Em resumo é uma plataforma que possui vários recursos em um único lugar para lidar com as vendas de pequenos negócios e marketing. A principal vantagem do Active Campaign é a facilidade com que os usuários podem criar sequências de automação de marketing – são aqueles e-mails estratégicos enviados de acordo com uma ordem para as pessoas inseridas em uma determinada lista. Veja a seguir um exemplo básico de automação:

Após disparar uma série de e-mails, certamente você vai querer saber quem abriu/leu/respondeu, né? Com o Active Campaign fica mais fácil conferir essas informações com o CRM incluso.  Nele você encontra um histórico completo com todas as ações realizadas pelo usuário, dá para descobrir até as páginas do site que ele visitou!

Você também pode criar campanhas de e-mail marketing automatizadas para diferentes segmentos da lista. Falando nisso, o criador de e-mails dessa ferramenta é bastante prático, ideal para quem tem pouco ou zero conhecimento nessa área. Basta arrastar e soltar (drag and drop) para incluir imagens, mudar as cores, inserir links, espaços e etc.

Por fim, o Active Campaign traz todas as informações principais em seu relatório, como taxa de abertura, de cliques, conversões e muito mais. É a ferramenta certa para quem está começando a entender mais sobre Marketing Digital e deseja investir em e-mails, possui um teste gratuito válido por 14 dias e um excelente suporte ao cliente.

Mail Chimp

Outra opção para o disparo de e-mail marketing é a ferramenta Mail Chimp. A versão gratuita da plataforma permite o cadastro de 2 mil destinatários e o encaminhamento de até 12 mil mensagens mensais, o que é perfeito para um pequeno negócio ou para quem está começando. Caso a configuração padrão seja insuficiente para você, há ainda a versão paga que possibilita cadastrar mais usuários e enviar mais e-mails por mês.

O Mail Chimp é bastante utilizado e reconhecido no mercado devido sua simplicidade. Com ele é possível elaborar templates (ou utilizar os prontos), segmentar campanhas, escolher os dados estatísticos que deseja acompanhar e criar integrações com as redes sociais. Além disso, o recurso é intuitivo e fácil de utilizar, basta arrastar e soltar (como o Active Campaign) para criar layouts mais elaborados, possui testes A/B, automação de e-mails e uma taxa de entrega excelente.

Imagem e vídeo

Unfold

Desde que foi lançado em 2016, o recurso Stories do Instagram faz sucesso entre os usuários da rede social. Muitos preferem verificar as publicações lançadas ali do que as que estão no feed. Assim, quanto mais criativas forem as publicações, mais chances de conquistar novos seguidores, principalmente se você utiliza o Instagram como ferramenta de divulgação da sua marca ou empresa.

Pensando nisso, nós queremos te apresentar uma ferramenta fácil e prática que pode te ajudar a criar stories diferentes e se destacar entre os concorrentes. O aplicativo Unfold oferece muitos recursos grátis e conta com pacotes pagos com opções de montagens diferentes, mais fontes e filtros. Você pode montar um único story ou uma sequência deles, visto que a proposta do aplicativo é ser um kit de ferramentas para contadores de histórias.

Crello

Se você já tentou várias vezes se entender com o Photoshop, Corel, Illustrator e tantos outros editores de imagens e não obteve sucesso, fique tranquilo, existem algumas opções online que prometem (e cumprem) te ajudar nessa missão. O Crello é uma ferramenta de design para criação e edição de imagens e peças visuais muito parecida com o Canva.

Com ele, é possível fazer artes para redes sociais como Facebook, Instagram e Twitter, além de panfletos e pôsteres para impressão a partir de um grande catálogo de modelos prontos, separados por categoria. De forma fácil e intuitiva, o usuário escolhe o tema que desejar, edita textos e cores dos elementos gráficos e salva o arquivo.

VidIQ Vision for YouTube

Com o VidIQ Vision for YouTube é possível realizar uma melhor análise de quais palavras chaves utilizar para atingir melhores resultados dentro do YouTube, como o próprio nome da ferramenta já diz, o foco é para essa rede social.

Além de ter uma melhor direção para quais palavras-chaves focar a ferramenta também possibilita uma visão de engajamento dos usuários além de retenção do público, algo muito importante para se destacar nessa rede social.

Análise de métricas

Google Analytics

Essa é a principal ferramenta utilizada pelos profissionais de marketing para analisar o comportamento do usuário em seu site – seja ele um blog, um e-commerce ou um site institucional -. Desenvolvida e disponibilizada pelo Google gratuitamente, é possível fazer a integração da ferramenta e obter relatórios detalhados, em tempo real, sobre como as pessoas navegam pelas páginas, quanto tempo ficam em seu site e tantos outros dados fundamentais para sua estratégia de marketing digital.

Além disso, essa ferramenta permite que você descubra quais foram os produtos mais vendidos, as páginas mais acessadas, os posts mais lidos e até as principais buscas que os usuários fazem em seu site. A seguir você confere como o Google Analytics apresenta essas informações para você:

Os dados apresentados pelo Google Analytics permitem que você faça uma análise rica sobre o comportamento em seu site. Com o relatório acima, por exemplo, podemos saber a taxa de rejeição, que é o número de pessoas que acessam o site, mas não navegam por ele, ou seja, aquelas pessoas que entram em uma página e não clicam em outros links ou interagem com outros conteúdos. Ainda, é possível conferir também o número de usuários novos e recorrentes.

A ferramenta do Google também divide cada acesso ao seu site em origens de tráfego. Neste caso, as origens de tráfego permitem saber se os usuários chegaram ao seu site por meio do Facebook Ads, links patrocinados, entre outros meios em que o seu site esteja sendo divulgado, seja de forma orgânica ou paga. Essas informações possibilitam que você verifique qual está trazendo melhores retornos de investimento.

Os principais canais de tráfego são:

  • Pesquisa orgânica: Refere-se ao tráfego gerado de pesquisas em motores de busca como Google, Bing e Yahoo!;
  • Tráfego direto: Trata-se de qualquer fonte de tráfego que não veio de nenhum dos outros canais, como acesso direto ao seu site ao digitar a url na barra de digitação;
  • Tráfego de referência: Representa o tráfego que veio através de um link em outro site;
  • Tráfego pago: É proveniente de anúncios patrocinados em plataformas como Facebook e Google.

Nessa área do Google Analytics você pode analisar o tráfego do seu site por região, assim é possível saber quais são as regiões que mais trazem receita, sessões e conversão. Essa análise geográfica é interessante para todo e qualquer tipo de segmento criar oportunidades. Vamos supor que você realiza palestras pelo país e possui um blog, além de poder conferir as KPIs anteriores, também é possível verificar qual região tem gerado mais acessos e que ainda não recebeu o seu workshop, por exemplo.

Google Search Console

Até 2015 esse recurso era chamado Webmaster Tools, mas o Google resolveu modificar seu nome para afastar a ideia de que seu uso é apenas para webmasters e incluir os demais usuários, como profissionais de marketing, empreendedores, designers, entre outros.

Esse serviço é gratuito e fundamental para quem trabalha na internet, pois permite que os usuários compreendam como suas páginas são vistas pelos robôs do Google. Ainda, essa ferramenta ajuda os usuários a perceberem quais são as otimizações necessárias para que seu site consiga mais visibilidade e melhore seu ranqueamento nos resultados das buscas orgânicas.

Como o principal objetivo do Google Search Console é melhorar a experiência dos usuários, essa ferramenta apresenta algumas vantagens que fazem com que essa seja uma excelente opção para quem busca aprimorar constantemente sua página web. A ferramenta possibilita o monitoramento e otimização de suas ações de SEO, a identificação e correção de erros, e o recebimento de alertas sobre aspectos que precisam ser revisados na página para que o desempenho dela seja melhor.

Essa ferramenta utiliza diferentes filtros para que você possa organizar os dados mais importantes no seu relatório. Por exemplo, na linha de cima  temos Cliques, impressões, CTR e posição.

  • Cliques: Apresenta quantos acessos a sua página obteve a partir dos SERPs*.
  • Impressões: Mostra quantos resultados SERPs os usuários visualizaram.
  • CTR: É o número de cliques divido pelo número de impressões.
  • Posição: Por último, destaca a posição média do resultado mais alto do site.

As  Search Engine Results Page (SERPs) ou em português página de resultados de uma busca, é o termo técnico utilizado para representar as páginas que exigem os resultados em uma busca. As SERPS variam conforme as palavras-chave e são compostas normalmente por resultados naturais que aparecem do lado esquerdo da busca.

A seguir você encontra facilmente os filtros: consultas, páginas, países, dispositivos, tipo de pesquisa, aspecto da pesquisa e datas.

  • Consultas: Essa opção exibe uma lista de termos de busca que levaram usuários ao seu site;
  • Páginas: Apresenta que páginas do seu site apareceram em resultados de busca;
  • Países: Indica de onde vieram todas as buscas;
  • Dispositivos: Mostra quais foram os dispositivos utilizados para fazer as buscas;
  • Tipo de pesquisa: Esclarece se os usuários utilizaram busca web, busca de vídeo, busca de imagem ou outro tipo de pesquisa;
  • Aspecto da pequisa: Nem sempre você vai ver essa opção, já que ela exige que você tenha impressões para pelo menos uma das outras funções;
  • Datas: Permite que você selecione um período de tempo para verificar as informações.

O Google Search Console é uma ferramenta relativamente fácil de usar mesmo para usuários iniciantes, embora contenha também ferramentas avançadas. É importante ressaltar também que essas são apenas as funções básicas da ferramenta, vale a pena explorar e aprender na prática a usar cada recurso para melhorar o desempenho do seu site.

SEO

SEMrush

Com a utilização desta ferramenta é possível analisar tráfego pago e orgânico de seu site ou comparar com tráfego de seus concorrentes, tornando-se uma excelente ferramenta para traçar metas, estratégias e objetivos competitivos visando aumentar o tráfego de um determinado site.

Uma das grandes vantagens da ferramenta é visualizar palavras-chave e seus volumes por domínio, ou seja, a ferramenta apresenta quais as palavras-chave de destaque de um determinado site e qual o volume de pesquisa de cada palavra dentro da rede de pesquisa do Google.

A ferramenta SEMrush ainda conta com uma grande vantagem que é a apresentação dos conteúdos que estão melhor posicionados com uma determinada palavra-chave.

Por exemplo, se você deseja descobrir quais os conteúdos na primeira página do Google com a palavra-chave “marketing” a ferramenta apresentará por ordem de posicionamento quais os melhores conteúdos com essa palavra-chave.

Lembre-se de que a ferramenta SEMrush é neutra, portanto se você pesquisar diretamente através de seu próprio navegador a palavra-chave “marketing” no Google, ele pode alterar as posições do resultado de pesquisa de acordo com seu perfil. Isso porque ele faz uma análise do seu perfil de várias maneiras, com o objetivo de apresentar resultados a você baseados em seu comportamento.

Seus comportamentos são medidos através de suas atividades com conta do Google, onde o mesmo realiza um rastreamento de suas ações, além de verificar seu endereço IP, localidade e diversos outros dados importantes, trazendo o que tem maior relevância.  Por esse motivo, é muito importante analisar sempre os dados de palavras-chave dentro de uma ferramenta neutra e o SEMrush é a ferramenta ideal para isso.

PageSpeed Insights (Google Developers)

Com o Google PageSpeed é possível visualizar o tempo de carregamento de uma página de seu site em dispositivos mobile e desktop.

Por que é importante analisar o tempo de carregamento de cada página?

Os mecanismos de pesquisa levam em consideração a velocidade que o site é apresentado para o usuário, sites que carregam mais rapidamente tendem a se destacar por algumas variáveis simples, uma delas é: se uma determinada página demora muito para carregar, o usuário que está acessando pode desistir de aguardar e acessar outro site que entregue o mesmo conteúdo.

Portanto a velocidade de carregamento de cada página de seu site, é uma das métricas mais importantes a serem melhoradas, uma página muito lenta pode dar evasão de usuários.

Com a ferramenta, é possível medir a velocidade de carregamento de cada página, além da própria ferramenta sugerir melhorias.

Como melhorar o tempo de carregamento de meu site? Para isso, são necessários levar em considerações os seguintes itens:

  • Melhorar infraestrutura – verificar se o servidor de hospedagem do site está rápido comparado com seus concorrentes, verificação de velocidade, configurações do servidor como memória RAM e diversos outros detalhes. Se o servidor que está hospedando seu site é lento, provavelmente a apresentação do seu site ao usuário final também será.
  • Imagens – É necessário diminuir o tamanho das imagens para que o carregamento do seu site seja mais rápido, pois, uma imagem muito grande exige mais tempo de carregamento.
  • Outros – É possível realizar melhorias instalando uma CDN, plug-ins de cache e diversas outras maneiras.

Portanto deixar seu site mais rápido muitas vezes não é uma tarefa muito simples, porém, como é muito relevante para o buscador, torna-se um item importante a ser trabalhado para conquistar uma melhor posição nos buscadores.

Google Keyword Planner ou Planejador de Palavras-chave do Google

Essa é uma das ferramentas mais importantes para tirar melhor proveito de campanhas do Google Adwords ou para geração de conteúdo, o principal benefício é que ela apresenta a quantidade e o volume de pesquisas com uma determinada palavra-chave segmentando por região.

Já imaginou conseguir descobrir qual o volume de pesquisa dos usuários com palavras-chave relacionadas ao seu negócio?

Com essas informações é possível criar estratégias para trazer acessos para um determinado site utilizando os termos exatos que as pessoas pesquisam. Saber como as pessoas pesquisam é um grande “coringa” principalmente quando se trata de marketing. Ter conhecimento sobre o que uma pessoa pesquisa e o que será apresentado para a mesma muda totalmente os resultados e a forma com que cada pessoa será abordada por um determinado site por exemplo.

Os buscadores consideram que relevância gera melhor posicionamento nos mecanismos de pesquisa, saber como as pessoas pesquisam e como será entregue o conteúdo ou site relacionado a pesquisa realizada é a grande sacada desta ferramenta. Encontre palavras-chave importantes e trabalhe em cima delas e potencialize realmente seus resultados! É claro que é preciso saber como a ferramenta funciona e principalmente entender como trabalhar em estratégias para tirar o melhor proveito.

Yoast SEO | WordPress.org

Essa ferramenta e plug-in é essencial para dar direcionamento sobre conteúdos gerados, com o Yoast SEO é possível escrever um texto e ao mesmo tempo verificar como os mecanismos de buscas, como o Google, indexam os conteúdos. O objetivo é maximizar resultados através de visitas orgânicas em uma página web desejada.

A ferramenta irá direcionar como escrever um determinado conteúdo usando uma palavra-chave desejada, além disso irá auxiliar na adição de imagens, descrições e outros detalhes muito importantes para atingir melhores resultados.

Extra: Ferramentas Google

Google Merchant Center

Você já deve ter ouvido falar em Google Shopping ou já deve ter visto quando pesquisou por algum produto, certo? Então, o Google Merchant Center é a ferramenta que possibilita com que um determinado comércio eletrônico apresente seus produtos dentro do Shopping do Google, nela é possível visualizar o inventário disponível, quais produtos estão ativos ou inativos.

Essa ferramenta também permite sincronizar imagens do produto, estoque, valor e descrição de vários produtos, ela é muito eficaz vinculada as campanhas do Google Ads para potencializar os resultados.

Google Tag Manager

Também conhecido como GTM, o Google Tag Manager é um facilitador para quem deseja inserir códigos dentro de um determinado website.

Como ele funciona e qual sua vantagem?

Imagine você instalando diversos códigos de monitoramento em um determinado site, como por exemplo:

  • Código do Google Analytics para monitoramento dos acessos do site;
  • Pixel do Facebook para que suas campanhas do Facebook sejam mais assertivas;
  • Remarketing do Google Adwords para interagir com usuários que já passaram por um determinado site.

Além dos itens a cima, outros códigos de ferramentas que podem ser úteis ao seu site ou negócio para tomada de decisão, como o Hotjar, que monitora o calor nos cliques em seu site indicando quais links e CTA (Call-To-Action) podem ser melhorados e diversas outras.

Imaginou o problema? Uma grande desorganização e confusão que geraria em um site com diversos códigos instalados no mesmo ao mesmo tempo?

Então, seus problemas estão resolvidos com o Google Tag manager, este é o propósito dessa solução!

Google Meu Negócio

Talvez criar um site para o seu negócio não seja uma prioridade agora, principalmente por ser um custo elevado. Mas para não ficar fora da internet você pode criar uma conta para sua empresa no Google Meu Negócio ou Google My Business.

Essa ferramenta é gratuita e permite que você crie um perfil para o seu negócio, assim ele aparecerá no Google Mapas e outros serviços do buscador.  Em resumo, é um serviço de listagem de empresas, que funciona de uma forma dinâmica e atrai atenção dos seus utilizadores por meio de pesquisas locais.

Dependendo do termo pesquisado e da sua localização, o Google apresentará diferentes perfis de empresas, tipicamente situadas na região onde você se encontra, como uma forma de você encontrar mais rapidamente aquilo que procura, seja um restaurante, um cabeleireiro ou uma loja de ferramentas, por exemplo. Qualquer que seja o termo utilizado, o buscador apresentará resultados de empresas que tenham perfil cadastrado no Google Meu Negócio.

Existem três opções de pesquisas que ativam o Google Meu Negócio, são elas:

Quando se pesquisa um tipo de estabelecimento sem apontar o lugar.

Quando você especifica a localização desse tipo de estabelecimento

Quando você especifica o nome da empresa

Com o Google Meu Negócio fica mais fácil de ser encontrado pelos clientes quando eles mais precisam, afinal, quem busca por “floricultura em São Paulo” ou apenas “floricultura” tem a intenção de comprar flores ou arranjos em algum momento. Logo, se você é dono de uma floricultura e registrou o perfil do seu negócio na plataforma, terá mais chances de aparecer para esses potenciais clientes.

Além disso, o Google Meu Negócio facilita a busca pelo endereço, número de telefone e horários de atendimento, informações básicas, porém essenciais para quem busca por determinados produtos e serviços. Há também um espaço para avaliações e comentários de clientes, aproveite para responder a todos e se mostrar disponível para dúvidas e reclamações. Simpatia e dedicação são itens fundamentais nos dias de hoje.

Google Adwords

Você já fez uma busca no Google e reparou que nos primeiros resultados tinha a palavra anúncio? Isso mesmo, algumas empresas investem em campanhas para aparecer nas minhas primeiras páginas e posições. O Google Adwords – ou Google Ads como é chamado atualmente – é uma plataforma de anúncios que funciona como um leilão, as pessoas pagam lances por palavras para aparecer nos sites e mecanismos de buscas.

Com base nas informações cadastradas na plataforma, o Google consegue entregar o resultado que o usuário procura. Também chamados de links patrocinados, esses anúncios podem aparecer nos seguintes momentos:

  • Rede de pesquisa: Quando o seu site aparece na página de busca do Google;
  • Rede de display: Seu anúncio está exibido em formato de texto, imagem ou vídeo em toda rede display do Google. Essa rede é formada por parceiros como UOL, Buscapé e outros;
  • Rede de pesquisa com exibição em display: É a junção dos dois anúncios anteriores, assim sua campanha vai aparecer na página e na rede. Porém, o mais indicado é que você divida o seu orçamento e crie anúncios separados para poder mensurar os resultados de forma mais assertiva;
  • Google Shopping: É a maior vitrine de produtos na internet. Desta forma você coloca o seu produto no buscador do Google, ele compara todos os preços e exibe os resultados por meio de fotos.

Outra facilidade da plataforma do Google é poder escolher como você será cobrado:

  • Custo por impressão (CPM): Neste caso você vai pagar um valor referente ao número de visualizações, ou seja, a cada mil pessoas que receberem seu banner no feed de notícias, você paga um valor x.
  • Custo por clique (CPC): Nessa opção, você vai pagar somente quando a pessoa clicar. O Google direciona os seus anúncios para pessoas mais propensas ao clique, e você é cobrado cada vez que um usuário acessar o seu site.

Mas não pense que basta investir dinheiro para alcançar destaque no buscador entre os termos escolhidos. Isso porque o Google Adwords avalia outros critérios além da empresa que fez a maior oferta. A ferramenta analisa a posição do site de acordo com o Ad Rank. Isto é, também é necessário fazer um anúncio relevante.

Além disso, aproximadamente 98% de todo o tráfego de pesquisa online do mundo é feito pelo Google e isso significa que o seu cliente final pode estar procurando pelo serviço que sua empresa oferece neste exato momento e esse é um dos principais motivos para anunciar no Google Adwords.

Essa ferramenta também permite o acompanhamento da taxa de conversão das palavras-chave selecionadas para compor cada campanha. É importante lembrar que elas precisam ser adequadas ao seu negócio e, por isso, é necessário identificar as palavras que podem trazer os usuários certos para o seu site e identificar termos que têm maior taxa de conversão do que outros.

Ufa! Parece ser muita coisa para aprender e entender sobre o Marketing Digital, certo? Mas você não precisa se preocupar em saber todos os detalhes, conte com o suporte de uma agência especializada para desenvolver suas estratégias e um planejamento assertivos de acordo com o seu negócio! Entre em contato com a Echosis e converse com um de nossos consultores para impulsionar os resultados da sua empresa.

Faça um comentário
Tags

Postagens relacionadas

4 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *