BlogFranquias

Franqueador: Quais são as responsabilidades e obrigações que ele possui?

O modelo de franquia já está presente em várias empresas de vários setores. Em vez de a empresa ter que arcar com todos os custos de abrir uma nova filial, ela permite que um investidor use sua propriedade intelectual, se tornando gerente daquela filial. Da mesma forma, o investidor não terá que arcar com todo o risco de abrir uma nova empresa. Tanto o franqueador quanto o franqueado se beneficiam nessa relação.

Porém, vale sempre lembrar que os dois possuem suas obrigações dentro desse negócio. Assim como os franqueados devem pagar royalties para as empresas, os franqueadores também têm seus deveres para com seus investidores e gerentes de filiais.

Para explicar melhor o tema, trouxemos aqui 5 exemplos das obrigações que um franqueador tem com seus franqueados. Confira:

1. O franqueador deve “transferir” seu conhecimento

grupo-multietnico-de-homens-e-mulheres-jovens-que-estudam-em-ambientes-fechados_1139-989

A primeira e principal tarefa da franqueadora, aquela que caracteriza o modelo de franquia, é a transferência do conhecimento e dos métodos de atuação da empresa. Afinal, um franqueado não consegue trabalhar com uma filial de não sabe como prestar o mesmo serviço que a empresa.

Essa transferência pode ocorrer em vários estágios. O primeiro deles é o treinamento do franqueado, que deve entender como proporcionar ao seu cliente a mesma experiência que a franqueadora presta. Em seguida, devem ser introduzidos os diferentes métodos de produção, administração e gerência adequadas do ambiente. Isso inclui normas de segurança e forma correta de utilizar qualquer ferramenta necessária.

2. Dar suporte para o franqueado

O trabalho do franqueador não acaba quando o seu franqueado abre a filial. Ele deve continuar oferecendo uma base sólida sob a qual o investidor pode se apoiar e ampliar seus negócios. Sem isso, a relação de franquia pode se desgastar com o tempo e deixar de ser vantajosa para os dois sócios.

Existem duas formas simples de suporte: divulgação da marca e consultoria. Uma das vantagens para o franqueado neste negócio é não ter que se preocupar tanto com propaganda, pois a empresa principal cuidará disso. Além disso, a franqueadora ainda pode e deve tirar dúvidas sobre o empreendimento para auxiliar seus investidores e garantir seu sucesso.

3. Desenvolvimento e cumprimento do contrato

empregado-mulher-candidata-recrutamento-de-emprego_1262-2854

O modelo de franquia pode incluir outras obrigações complementares para ambas as partes. Isso serve para evitar que haja conflitos entre as partes, tornando a relação mais rentável. Neste ponto, a franqueadora deve desenvolver um contrato que esclareça todas essas obrigações e direitos, tanto os previstos em lei quanto aqueles gerados em comum acordo.

É importante lembrar que algumas cláusulas são mais flexíveis que outras. Então, o contrato pode ser adaptado para beneficiar ambas as partes, mas ainda deve seguir certas diretrizes previstas em lei.

4. Renovar materiais de capacitação

O treinamento dos franqueados dificilmente acaba quando a filial já está a todo vapor. Toda empresa renova seus métodos de trabalho para se adaptar a novas realidades. E o franqueador aqui não é nenhuma exceção. Em algum momento ele vai buscar novas ferramentas, sendo sua obrigação atualizar todos os materiais e ensinamentos já passados.

Na verdade, é contra intuitivo pensar que a franqueadora não passaria esse conhecimento. Afinal, sem ele, as filiais podem perder sua rentabilidade, o que tem reflexo direto nos royalties recebidos pela empresa.

5. Fiscalizar a atuação correta dos franqueados

vista-de-cima-de-trabalhadores-verificacao-de-documentos-estatisticos_1232-845

Então você se torna um franqueado, abre uma filial e começa a trabalhar da forma que bem entende, não é? Errado. Todo franqueado também possui obrigações legais a cumprir, sejam elas da vigilância sanitária, segurança ou qualquer outra. A tarefa do franqueador aqui é garantir que tudo esteja dentro dos conformes.

Esta fiscalização não tem, necessariamente, caráter punitivo. Em muitos casos, se trata apenas de uma checagem dos métodos de trabalho da empresa, com pequenos conselhos para otimizar a produção e evitar problemas no futuro. Mas, claro, se houver alguma lei ou cláusula de contrato sendo violada, a franqueadora será obrigada a intervir, talvez fechando esta filial ou vendendo-a para outro investidor.

Agora você conhece algumas das obrigações de um franqueador. Percebeu que muitas delas são bem úteis para que os franqueados tenham mais sucesso em suas próprias filiais. Acha que pode ser interessante se tornar um franqueado? Então não perca tempo! Entre em contato com a Echosis, tire suas dúvidas e veja como ser um franqueado em marketing digital.

Faça um comentário
Tags

Postagens relacionadas

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *